A Catedral de Santo Estevão em Viena e suas cores

Localizada no Innere Stadt (centro da cidade), a Catedral de Santo Estevão ou Stephansdom é um dos exemplares mais antigos da arquitetura gótica ainda de pé na Europa. Após os ataques durante a Segunda Guerra Mundial, a Catedral foi reconstruída e continua sendo uma obra de arte arquitetural como poucas.  Sua torre sineira de 70 metros, abriga um sino de 21 toneladas.

 leste-europeu2013-1019 leste-europeu2013-1020 leste-europeu2013-1021

Quando entrei na Catedral, notei algo de diferente. Altares, esculturas religiosas, detalhes incontáveis, tudo isso ficou para trás quando percebi o jogo de luz que estava montado lá dentro. As igrejas góticas costumam ser escuras, soturnas, com um cheiro de passado muito forte mas desta vez foi diferente. Ainda não tinha entrado em uma igreja que apresentava um show de luzes coloridas em seu interior.

leste-europeu2013-1027 leste-europeu2013-1030 leste-europeu2013-1032 leste-europeu2013-1034

Não sei se havia algum motivo específico para aquela iluminação diferenciada. Nem procurei saber. Só sei que a primeira vista pareceu estranho mas com o tempo fui gostando da proposta de iluminar daquele jeito o interior sempre tão escuro. Deu uma outra sensação. Além das peças e da arquitetura, perceber a combinação de cores e como as luzes iluminavam os detalhes do seu interior, deu uma nova visão a Catedral

 Gostei e acho que seria uma ótima ideia fazer em outros lugares também.

3 thoughts on “A Catedral de Santo Estevão em Viena e suas cores

  • 26/01 at 5:29 pm
    Permalink

    Não sei se é o caso dessa catedral, mas como você disse que ela foi destruída na 2ª Guerra, os vitrais originais não devem ter resistido. Em restauro não tentamos copiar o que se perdeu (especialmente se não tiver nenhuma documentação – fotos/desenhos/projetos), mas recriar a ambientação existente.
    Acredito que essa é a razão dos vidros coloridos sem desenhos numa catedral gótica.
    No mais, bom blog. Está colaborando muito para o planejamento da minha próxima viagem!

    Reply
    • 27/01 at 5:15 pm
      Permalink

      Olá Ana, certamente os vitrais não são originais.

      Reply
  • Pingback: Viena: roteiro para três dias (dia 3)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: