Farmacinha de viagem

Meus caros leitores, andei meio sumida mas voltei!!

Voltei para escrever sobre um detalhe que pode fazer uma diferença e tanto nas suas viagens: a “pequena farmácia de viagem” onde não devem faltar itens importantes para garantir que qualquer mal-estar passe rapidinho.

É importante lembrar que em muitos países, até a mais simples aspirina só sai da farmácia com receita, que a inocente (mas nem tanto) dipirona tem sua venda restrita e que ,vamos combinar, se você estiver com uma dor de barriga daquelas, não vai querer sair pra procurar uma farmácia para comprar remédio.

Eu fiz uma listinha básica que é a que eu costumo levar nas minhas viagens. Sou alérgica, tenho gastrite, comida condimentada me dá dor de barriga, ou seja, meu arsenal de remédios não é dos mais simples mas até hoje deu tudo certo.

Bom, vejamos:

  • antitérmico: vai que você fica meio gripado e tem febre?

  • analgésico: para dores no corpo depois de um dia de muito turismo. Gel para dores musculares também vale.

  • band aid e esparadrapo: um calo no pé, uma bolha incômoda. O band aid protege a área afetada e o esparadrapo por cima garante que ele não vai descolar e piorar a situação.

  • Remédio para enjoo. Enjoar no avião, no barco, no ônibus é comum a  muitas pessoas.

  • Antiácido, engov, essas coisas. Afinal, a sua dieta não vai ser a mesma de casa, o seu estômago pode sentir a diferença e reclamar.

  • Filtro solar e protetor labial. Chapéu e óculos escuros também.

  • Remédio para dor de barriga. Desde aquele para cólica intestinal ou uterina até aquele que segura e restaura a flora do intestino. Esse é o que eu mais desejo que você não precise usar. Por experiência própria. Dor de barriga acompanhada da sua evolução é uma das piores coisas que pode acontecer numa viagem.

  • Antialérgico, anti histamínico: vai que o nariz começa com aquela coriza ou então você come alguma coisa e começa ter um monte de bolinhas pelo corpo?

Procure levar aqueles que você conhece ou já fez uso em alguma ocasião. Viagem não é o momento para “testar” remédio algum. Converse com seu médico.

Se você faz uso de remédios diariamente, leve-os na bagagem de mão com a receita junto e na quantidade necessária para todos os dias da viagem e mais um pouco.

E sabe o mais importante disso tudo? Se você vai viajar para fora do país, sempre, eu digo SEMPRE, faça o seguro-saúde, primeiro porque nos países da Comunidade europeia o Tratado de Shengen tornou obrigatório a contratação de um seguro de viagem na hora da imigração e você vai ter que mostrar o comprovante se for para lá. Segundo, que imprevistos acontecem, uma torção no pé, uma crise de sinusite muito forte, uma desidratação por conta do calor, enfim, a sua farmacinha pode não ser o suficiente e você pode precisar de assistência médica.

10 thoughts on “Farmacinha de viagem

  • 05/06 at 3:11 pm
    Permalink

    Oi Juliana!

    Estes remédios que você citou também precisam de receita? Vitaminas como a D e ferro também?
    Obrigada!

    Reply
    • 05/06 at 8:25 pm
      Permalink

      Olá Karime, obrigada pela visita!
      Bem, pelo que eu saiba, vitaminas não precisam de receita.

      boa viagem!

      Reply
  • 16/04 at 6:44 pm
    Permalink

    Estou levando muitos remédios… Será que devo despachar? Na mala de mão é capaz de ficar no aeroporto? Obrigada!

    Reply
    • 16/04 at 10:59 pm
      Permalink

      Se forem de uso contínuo, não despache e não esqueça das receitas, de preferência escritas em inglês. Senão, podem ficar no aeroporto também.

      Reply
  • 22/12 at 11:29 pm
    Permalink

    Oi, Ju…olha eu aqui de novo…kkkk….esses remédios serão levados na bagagem do porão? precisam de receita? Putz e o seguro saude, o que vi pela agencia ficará em R$ 931 reais, é isso mesmo? td bem que vi pelo período de 3 meses…help me please!!

    Reply
    • 23/12 at 10:49 pm
      Permalink

      Os remédios de uso continuo devem ser levados na bagagem de mão e com a receita. Mas eu costumo levar tudo na mochila que vai comigo na aeronave. Até pq não são tantos assim… rsrsrsrs. O seguro para esse tempo é isso mesmo, pago cerca 1/3 desse valor qdo viajo por 20 dias.
      bjs

      Reply
  • Pingback: Primavera na Europa: o que levar na mala?

  • 07/06 at 11:49 am
    Permalink

    Gostei muito do post! Nesse exato momento estou fazendo as compras online da minha farmacinha de viagem. Acrescento um anti-inflamatório à lista, pois já precisei na Europa. Havia andado demais e a sandália começou a incomodar. Minha marcha começou a mudar um pouco para compensar a dor. Daí já viu… Percebi que acabara de desenvolver uma tendinite na altura do tornozelo/pé. Como sou fisioterapeuta, foi tranquilo diferenciar o que sentia de uma dor muscular ou de um cansaço extremo. Analgésicos simples e os mais fortes (com opióides) que eu havia levado não resolviam. Sabia que teria de romper o ciclo com anti-inflamatório. Tive de acionar o seguro do Amex (excelente por sinal) para ter um médico no hotel no meio da noite só pra me prescrever um anti-inflamatório… Deu tudo certo, o seguro cobriu a despesa, o remédio era baratinho e a farmácia ficava do outro lado da rua. Mas aprendi que não dá pra ficar sem esse item. Abraços

    Reply
  • 30/03 at 11:46 am
    Permalink

    Embora eu seja uma pessoa portadora de alergia severa, das que faz alergia ao antialérgico e,portanto, não posso fazer uso de medicamentos sem supervisão médica, adorei as informações. Excelente post.
    Você deve estar se perguntando como seria se eu precisasse de medicamentos. Eu uso placa no pescoço e as informações constam do meu documento de identidade. Ùnica coisa que posso fazer.
    Abraços fraternos
    Vi Meirim

    Reply
    • 01/04 at 12:03 pm
      Permalink

      Cuidado nunca é demais, né?
      obrigada pela visita!

      abs, Juliana

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: