Viena – Introdução

A terra de Mozart, que apesar de ter nascido em Salzburg, viveu em Viena é um encanto. Viena vive em outro ritmo. Tive certeza disso quando percebi que a escada rolante do metrô andava muito mais devagar do que todas as outras que já conheci.  Apesar de ser uma cidade de ventos gelados e frio até na primavera (pegamos 8 graus em pleno mês de maio), o astral de Viena é quente. Seus moradores, acostumados com a turistada que entope a cidade e os museus todos os anos, são receptivos e amigáveis, se esforçam para a comunicação ser clara e não tem muita pressa. A cidade é uma delícia para caminhar, plana, limpa, colorida pelas flores mais resistentes ao vento. Os museus e concertos de música clássica se espalham por todos os lados. Palácios e a referência aos Habsburgo existem por toda parte.

Cafés são paradas obrigatórias à tarde. Simples ou sofisticados mas sempre elegantes, tomar um café é um convite irresistível. Em Viena aquela velocidade e ansiedade de ver-tudo-ao-mesmo-tempo-agora se dissolve no café e na torta de chocolate com damasco. Não adianta, quando você der por si, estará andando mais devagar, reparando nos detalhes da arquitetura, sentindo o vento permanente e pensando naquele café… e não se surpreenda se ao passar pela Ópera o telão estiver montado e o espetáculo estiver sendo transmitido em praça pública. Escolha um lugar, se ainda tiver algum disponível e divirta-se! Viena é assim.

viena-wagner-012 viena-wagner-030 viena-wagner-035 viena-wagner-036 viena-wagner-102 viena-wagner-238  viena-wagner-270 viena-wagner-288 viena-wagner-308 viena-wagner-357

 Dicas práticas:

Permanência: ficamos quatro dias em Viena. Queria ter ficado mais mas deu pra ver cerca de 80% do que foi programado.

Moeda: Euro. Viena é uma cidade cara, principalmente no quesito alimentação e diversão.

idioma: alemão austríaco. Mas não se assuste, praticamente todo mundo fala inglês e cardápios, mapas, placas, informações sobre atrações estão disponíveis em vários idiomas, até em espanhol.

Culinária: me lembro do queijo brie que comprei no mercado por pouco mais de 2 Euros. O goulash (picadinho de carne com especiarias) é amplamente servido mas eu gostei mesmo dos doces, apflestrudel e a torta de chocolate com damasco do Hotel Sacher  são minhas melhores lembranças alimentícias dessa cidade.

Transporte: metrô e bonde elétrico. Compre o Wien card no centro de informações do metrô. Ele custa E19,90 e vale por 72 horas, seu uso é ilimitado durante esse período. Com esse cartão, você também tem direito a descontos em vários pontos turísticos, é só dar uma lida no livrinho que o acompanha.

Chegada e saída: chegamos e saímos de trem.

Hospedagem: ficamos hospedados no hostel do step inn em frente a estação de trem e metrô de westbanhof. Um hostel bem localizado, tranquilo, com cozinha para fazer refeições e um café da manhã simples e eficiente pago à parte da diária.

2 thoughts on “Viena – Introdução

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

%d bloggers like this: